sábado, 2 de novembro de 2013

Primeiro dia na creche

Ontem (dia 1/11) foi o primeiro dia de creche do pequeno, e como com todos os pais custa sempre um bocado, a patroa estava um bocadinho inconsolável, ''e se ele chora'' ''e se ele tem fome'' ''ele não sabe falar'' ''e se ele tem saudades''. Eu achei piada a estas coisas que ela disse mas tentei acalmar os nervos para que ela não ligasse para a escolinha dele, azar o meu, tive familiares a vir e precisava de ir a casa arrumar por isso tive de a deixar três horas sozinhas (uma imensidão de tempo). Pensei que conseguisse controlar as coisas mesmo não estando ao lado dela, ela só a querer ligar, e eu a dar-lhe todas a razões e mais algumas para não o fazer, a menos de meia hora de eu voltar para junto dela recebo uma mensagem a dizer que tinha ligado, e disseram o óbvio e o que eu lhe tinha estado a dizer a manha toda, que ele estava bem, se tivesse chorado era normal pois era o primeiro dia dele mas nada que as educadoras não soubessem controlar, e que qualquer coisa elas ligavam para nós e nós íamos busca-lo.

Mas pronto, depois disto acalmou. A tarde passou até bem depressa e quando o fomos buscar (escusado será dizer que fui arrastado meia hora mais cedo para o local onde a carrinha o deixa), assim que o autocarro chegou a patroa quase que entrou autocarro a dentro e o foi buscar a cadeirinha, ninguém pegou o menino ao colo nos 10 min que se seguiram, não por não querermos mas porque alguém não o deixava!

Este primeiro dia foi uma experiência engraçada, fez um bocado de confusão não o adormecer ou ir com ele ao café a tarde, mas sei que isto é bom para ele, quer dizer, para ele e parar nós. Agora vai começar a aprender a dar-se com outros pequenos, a brincar com eles, a falar com eles, e sei que está bem entregue porque ele está na mesma creche onde eu andei.

Sem comentários: