sexta-feira, 17 de abril de 2015

Cronicas de um saco de boxe

É uma cronica pequena, de um só texto que deve ser aqui guardado para o caso de me acontecer algo, vocês vão perceber porquê.

Nas brincadeiras com o mini, para ele não me aleijar, agarro-lhe as mãos, o que é que ele faz? Dentinhos não servem só para mastigar a comida, e lá tenta meter a boca na minha mão ou no meu braço (sim porque com a força dele é literalmente ''se o Maomé não vai à montanha vai a montanha a Maomé'').

Quando dizem que as crianças crescem não dizem nenhuma mentira, mas podiam dizer que os instintos animais também crescem.. Antigamente era só palmada, passou para os pontapés, agora é morder e puxar o cabeço enquanto faz o cavalinho nas minhas costas... Qualquer dia a mulher dá-lhe um chicote para andar à ''vardascada'' e a fazer-me saltar obstáculos!


(já agora, a mulher está constantemente a ameaçar-me com a faca do talho,
 quem for aqui da zona cuidado com o que come!)

Sem comentários: