terça-feira, 28 de outubro de 2014

Segundos pais

Hoje em conversa com a mulher surgiu um tema que eu gostava de discutir com vocês. Padrastos e madrastas. Mais especificamente se é ou não dever/obrigação educar os filhos dos/as parceiros/as.

Na minha opinião acho que é "obrigação" (não consigo arranjar palavra melhor)  educar o filho do companheiro. Não como "está aqui, agora toma conta dele e educa-o" claro, mas se se está a envolver com uma pessoa com filhos e querem ter uma vida em conjunto não pode simplesmente deixar a criança de lado só por querer estar com a mãe/pai.

Obvio que não se pode meter as responsabilidades em cima de uma pessoa que vem de fora mas se essa pessoa quer entrar na vida de uma família deve fazer tudo pelo melhor dessa família, porque apartir do momento em que existe uma criança deixa de ser só 1 pessoa.

Não e filho mas é quase, e apesar de a educação ter de vir dos pais biológicos não quer dizer que os "pais emprestados" não tenham um papel importante na educação.

Que acham sobre este assunto? Comentem mesmo em anónimo, quero é saber o que acham.

Sem comentários: